Pintura Digital e Ilustração - Como Mike Azevedo começou

Já se perguntou como começar a aprender desenho, pintura digital e ilustração? Como será que quem entende do assunto começou? Como eu faço para chegar lá também?

Semana passada conversei com o grande Mike Azevedo, artista paulista de 22 anos reconhecido mundialmente por suas pinturas digitais. Você pode saber mais sobre ele e seu trabalho no primeiro post que fiz, clicando aqui.

Neste segundo post vamos mergulhar em seu desenvolvimento artístico e sua graduação em Design de Games.

Arte de Mike Azevedo

Arte de Mike Azevedo

Mike me contou que desde cedo sabia que queria trabalhar com arte para o mercado de games. Ele não sabia como faria isso, nem quais eram as vagas e cargos nesse ramo, mas era isso que queria fazer.

Com mais ou menos 16 anos, ele usou então a internet para conhecer tudo que podia sobre este mundo. Encontrou sites como o Conceptart.org e o Crimson Daggers, que o auxiliaram muito a desvendar a ilustração e concept art voltadas para o entretenimento. Comprou sua primeira tablet e começou a estudar e postar nestes portais. Era um momento de muita atividade nestes fóruns, com participação de alguns grandes nomes de hoje em dia como Miles Johnston, Hannes Algenpfleger, Jana Schirmer.

Para fins de comparação, seguem alguns dos primeiros estudos do Mike em seu Deviantart:

Arte de Mike Azevedo em ago/2009

Arte de Mike Azevedo em ago/2009

Arte de Mike Azevedo em set/2009

Arte de Mike Azevedo em set/2009

Arte de Mike Azevedo em fev/2010

Arte de Mike Azevedo em fev/2010

O fórum que Mike mais utilizou foi o Crimson Daggers, que ele diz ter sido responsável por praticamente 90% do que ele aprendeu naquela época. Artistas como Daniel Chavez e Dave Rapoza também postavam constantemente. Ele entendeu desde o começo que "teria que estudar muito para chegar a algum lugar."

E aqui quero abrir um parenteses para tentar contextualizar o que é estudar muito para o Mike. Esta imagem abaixo eu montei com uma série de estudos dele.

Estudos de Mike Azevedo

Estudos de Mike Azevedo

Achou bastante? São 22 imagens diferentes do último post que ele fez em seu blog, em abril de 2014, o que equivale a metade das 45 imagens contidas só nessa atualização. Fui contar os posts e tentar estimar quanto estudos ele fez. São mais de 90 atualizações, desde maio de 2011, quando ele começou a postar.

Em média chutei que são umas 5+ imagens por post, sendo que existem posts gigantes como esse de 45 peças e posts com uma só imagem. Sendo assim, só no blog dele ele teria umas 500 imagens desenvolvidas nesse período de 3 anos. E como podemos ver pelas imagens que postei anteriormente de 2009 e 2010, ele já estava estudando!

Depois fui confirmar com o Mike e ele falou que na pasta de estudos dele, que não inclui os trabalhos profissionais, ele tem mais de 1200 imagens, de 2011 a 2015.

Pelo que pude perceber, nos 3 anos de postagens, Mike fez basicamente 4 tipos de estudos, divididos entre tradicional e digital:

  • Estudos da vida real, principalmente natureza morta e algumas figuras humanas
  • Estudos de foto, incluindo pessoas, animais e cenários
  • Estudo de grandes mestres, como Sargent
  • Estudos de imaginação, aplicando o que aprendeu.

Ele enfatizou a importância dessa última parte, da aplicação:

"Desenhar de imaginação depois é chave para fazer funcionar o que você aprendeu. Também é muito importante a idéia de sketches, não ficar perdendo tempo detalhando e consertando demais, mas sim fazendo pequenas imagens, mais rápidas. Ajuda muito!"
"Esse conceito de imagens mais rápidas na verdade vem de outras mídias também. Já ouvi falar que para você aprender a escrever, uma dica boa é fazer contos rápidos, fazer um estudo por dia ou por semana, porque assim você tem uma sensação de conquista, muito importante para se manter motivado!"

Escolhi um estudo de janeiro de 2012, para tentar ilustrar o quão eficiente foi a evolução.

Arte de Mike Azevedo de janeiro de 2012

Arte de Mike Azevedo de janeiro de 2012

A escolha da faculdade, feita no final de 2009, não foi difícil, ele procurou algo relacionado a games e logo encontrou a graduação em Design de Games da Anhembi Morumbi. Ele já sabia o que queria e estava estudando para isso, queria um curso que tivesse o máximo de sinergias com sua jornada.

A graduação da Anhembi, apesar de seus 4 anos de duração, cobre uma vasta gama de tópicos, assumindo o caráter generalista e pincelando conteúdos desde desenho até programação para todos os alunos. Isso incomoda muitos alunos de todos os lados, tanto aqueles que gostariam de estudar mais arte, ou programação ou até mesmo design.

O Mike porém, abordou o curso com uma cabeça diferente e muito interessante, na minha opinião. Ele sabia que não iria aprender de ilustração ali e que teria que caminhar com as próprias pernas para isso.

"Eu me sentia muito sortudo, de ver que enquanto alguns estavam super perdidos, indecisos com que caminhos buscarem, eu já tinha as ferramentas e sabia o que queria, só faltava fazer. Eu me sentia então na obrigação de me esforçar."
Arte de Mike Azevedo

Arte de Mike Azevedo

Adotou que o que aprendia no curso seria importante para entender todo o processo de desenvolvimento de jogos e principalmente como era a atuação de seus futuros colegas de trabalho. Sendo assim, aproveitou de forma positiva o que estava aprendendo, desenvolveu jogos durante o curso e conheceu amigos e contatos do ramo.

Ele disse que no começo era difícil as pessoas entenderem por que ele estudava tanto. Mas ele entendia que existia o que ele chama de "pressão do mundo", isto é, se você não for bom, você não vai conseguir nada.

"Se você só se focar nas coisas de faculdade, você não vai estar pronto para o mercado"
"É uma área muito honesta a nossa. Se o seu trabalho não for bom, não tem como."
Arte de Mike Azevedo

Arte de Mike Azevedo

Acho que nesse ponto vale um parenteses com relação a o que discutimos no post de desenvolvimento do olhar crítico, principalmente na parte 2, que você pode ler clicando aqui.

Neste discutimos o quão importantes são alguns fatores para o crescimento artístico: conteúdo específico para a área, grupos de indivíduos com mentes e objetivos semelhantes, prática constante e crítica de qualidade, se possível com contato direto com profissionais atuantes do mercado.

O Mike sabia desde o começo que através da sua graduação ele não teria nada disso, e sim pelos fóruns. Naquela época, com a participação constante de artistas obstinados e focados, criou-se um ambiente que replicava bem estes elementos. Eles estudavam  todos os dias, com a vontade de mostrarem o que fizeram uns para os outros. É visível no blog do Mike que ele até "se desculpa" quando tem poucas atualizações, e lembro de ver o mesmo nos que eram chamados de sketchbooks do Miles ou do Johannes no Conceptart.org. O Scott Robertson tem um quote sobre isso que não canso de repetir:

"Você não pode nunca subestimar o poder de um grupo de indivíduos com mentes semelhantes e um único objetivo e o quanto eles conseguem acelerar a curva de aprendizado por desenvolverem formas de se comunicarem entre si e desenvolverem seus olhares críticos."

Muitos destes artistas já atuavam como freelancers também, então tinham contato com diretores de arte do mercado, trazendo este conhecimento e olhar crítico para dentro do ambiente dos fóruns.

Hoje em dia, os fóruns não são mais como antigamente e as comunidades de Facebook não replicam a dinâmica completamente, porém existem muitos grupos se reunindo por Google Hangouts ou Skype e estudando todos os dias.  É o caso de grandes artistas amigos meus como Hugo Richard, Lucas Parolin e Victor Quaresma, que se desenvolveram muito através dessas plataformas.

Arte de Mike Azevedo

Arte de Mike Azevedo

Atualmente, Mike trabalha como freelancer e professor, mas garante que ainda estuda todos os dias.

"Preciso permanecer humilde!"
"Eu não acho que cheguei a algum lugar e devo agora me sentir confortável (...) Estou todo dia tentando estudar."

A rotina atual dele inclui, sempre que possível, de 1 a 2 horas de estudos, principalmente pela manhã, para aquecer antes de começar um dia de como freelancer ou professor.

Pedi que ele desse uma dica final para aqueles que estão começando a estudar e pretendem ou não fazer uma faculdade.

"Se for fazer faculdade, você tem que entender que tem que estudar em paralelo e que será uma longa jornada. É preciso tentar o máximo possível entender a pressão do mundo. Tem muita gente boa lá fora e muita gente boa estudando. Você não deve se intimidar com isso, porque você está fazendo a SUA arte, mas tem que entender que tem que estudar muito."

Ele também indicou alguns livros que o ajudaram na trajetória. Todos são fantásticos na minha opinião, sendo que alguns já foram citados anteriormente no blog. Seguem os links na Amazon:

Figure Drawing: Design and Invention
$25.43
By Michael Hampton
Figure Drawing for All It's Worth
$23.03
By Andrew Loomis
Creative Illustration
$30.45
By Andrew Loomis

Já divulgamos antes, mas não custa repetir que se você quiser estudar com o Mike ele dá um curso de Pintura Digital, presencial e online, com a duração de 8 meses na escola ICS - Innovation Creative Space, de São Paulo. Ainda quero conseguir fazê-lo também!

É muito interessante ter esta pequena janela para o desenvolvimento desse grande artista. Me fez querer estudar mais ainda! E vocês, o que acharam? Se gostaram, compartilhem com os amigos, isto ajuda muito o desenvolvimento do projeto! Curtam também a página do projeto no Facebook! Assinem também a lista de e-mails do site logo abaixo deste post, para ficarem sempre atualizados com as maiores novidades do Brushwork Atelier!

Leia mais sobre Mike Azevedo:

Muito obrigado por acompanharem!